O Brasil começa a se recuperar da crise financeira que, por um momento, abalou o mercado imobiliário em alguns locais do país. Por conta do alto endividamento da população e das dificuldades para conseguir um financiamento por causa das altas taxas de juros, as vendas de imóveis entraram em queda por algum tempo.

Como esse mercado é um dos principais no Brasil e gera muitos empregos, há uma forte tendência de maior investimento em imóveis agora em 2018. Uma estimativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) estima um aumento em 10% na venda de imóveis neste ano, em relação a 2017.

Quer saber quais são as tendências do mercado imobiliário para 2018? Então continue com a leitura e saiba um pouco mais sobre o que está por vir!

Redução da taxa Selic

A taxa Selic, muito falada nos noticiários, é a taxa básica de juros. Ela é uma média dos juros que o governo paga pelos empréstimos que toma para si, junto ao mercado que adquirem títulos públicos. Como o governo é o devedor mais confiável de um país, nenhum banco adota taxas menores do que as aplicadas ao governo, e por isso a Selic é a taxa de base nacional.

Quando mais alta a Selic, mais difícil é para a população conseguir financiamentos, uma vez que as taxas de juros ficam muito altas. Entretanto, com a queda da Selic, os financiamentos se tornam mais baratos e acessíveis.

Aumento do crédito imobiliário

Para aqueles que estavam investindo na poupança, devem ter observado que a taxa de juros básico caiu. Isso significa que, as pessoas estão pensando mais se aplicam ou não o dinheiro na poupança, pois colocá-lo no mercado na compra de um bem pode ser mais vantajoso. Assim, os bancos já começam a oferecer mais crédito imobiliário com juros menores, pois precisa do dinheiro dos clientes por outras vias.

Maiores investimentos

O cenário político foi um dos grandes causadores da crise financeira. Afinal de contas, ninguém quer investir em um país no qual a política está uma verdadeira bagunça e uma coisa acaba levando a outra.

O investimento para, o país fica mais endividado, perde posições como selo de bom pagador, por consequência as pessoas investem menos no país com medo de não ter o dinheiro devolvido.

Com o atual cenário, as empresas de outros países sentem que o Brasil está entrando nos eixos novamente e que há mais uma vez uma base política para tomar as decisões na economia. Isso oferece maior segurança, gerando mais investimentos e aumentando a circulação de dinheiro internamente.

Porém, é preciso aproveitar as oportunidades o mais rápido possível, pois essas baixas taxas de juros e facilidades de empréstimos tende a mudar. No momento em que a economia voltar ao amplo crescimento e as pessoas passarem a consumir mais, o preço do imóveis irá aumentar, assim como as taxas de juros. Portanto, a hora de investir o setor imobiliário é agora.

Gostou dessas dicas sobre as tendências do mercado imobiliário para este ano? Então compartilhe esse post nas redes sociais e ajude outras pessoas a tomar a melhor decisão!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *