O financiamento imobiliário via programa Minha Casa Minha Vida é muito comum, sendo apontado como um dos mais vantajosos em relação ao acesso e às taxas de juros cobradas. Mas há alternativa ao minha casa minha vida para aqueles que não se encaixam no perfil do programa.

Neste post, mostraremos quais são os critérios de participação no Minha Casa Minha Vida e quatro opções além do programa, como o financiamento direto com a construtora e por outras instituições financeiras. Se se interessa pelo tema? Siga conosco e fique por dentro do assunto!

Importância do financiamento

Os financiamentos imobiliários têm ajudado as famílias brasileiras a alcançar o sonho da casa própria. O Banco Central estima que as taxas médias de mercado para pessoas físicas caíram de 15,4% (2017) para 11,3% neste ano.

As taxas de juros, no entanto, dependem do tipo de financiamento utilizado. Por meio do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) esse índices usualmente são menores, já que são regulados pelo governo. Fatores como tempo de relacionamento com o banco, valor do imóvel, renda e perfil do comprador também influenciam.

Em todos os casos, o acesso da população aos financiamentos permitiu um aumento na compra de imóveis no país. Para isso, a recomendação é de que muita pesquisa e estudo sejam feitos antes de uma definição sobre a compra. Contar com o auxílio de empresas especializadas no ramo pode garantir uma negociação adequada e segura.

Regras do Minha Casa Minha Vida

Criado em 2009 pelo governo federal, o Minha Casa Minha Vida possibilita a aquisição da casa própria por meio da Caixa Econômica Federal, mas nem todo mundo consegue acessar o programa para financiar o imóvel planejado, nem mesmo todos os tipos de propriedades podem ser adquiridas utilizando-o, uma vez que é um programa de moradias populares.

A renda bruta familiar define o tipo de financiamento que poderá ser acessado. Assim, ao ser determinado o chamado enquadramento de renda, é possível compreender as condições para acessar esse financiamento.

O programa prevê quatro faixas de renda e cada uma delas possui números de juros diferentes, subsídios do governo, entre outras vantagens. A faixa 1 é destinada a famílias com renda de até R$ 1.800; a faixa 1,5 atende quem tem remuneração entre R$ 1.800 e R$ 2.600; a faixa 2 compreende pessoas que mensalmente têm à disposição a partir de R$ 2.600, podendo chegar a R$ 4.000; A última é a faixa 3. Nela, a renda dos integrantes da família não pode ultrapassar R$ 7.000.

No geral, no Minha Casa Minha Vida, o maior percentual da taxa de juros nominal é 7,6600% e efetivo de 7,9348%. O prazo máximo estabelecido para quitar o financiamento é de 30 anos, o equivalente a 360 meses.

As quatro alternativas

Se você não se encaixa no perfil especificado acima, conheça as variedades de alternativa ao minha casa minha vida:

1. Financiamento com a construtora

Essa modalidade é muito comum entre os interessados em adquirir lotes ou um imóvel na planta, já que a quitação da dívida normalmente ocorre em tempo e parcelas menores do que ao comprar um imóvel pronto por meio de financiamento.

A situação econômica do país e do mercado imobiliário tem favorecido esse tipo de negociação, pois é do interesse das empresas no ramo vender esses imóveis e lotes e , assim, estão cada vez mais abertas a negociar valores e condições de pagamento. اربح مال من الانترنت

Financiar diretamente com as construtoras é também mais simples, porque os contratos são menos rígidos e burocráticos para a obtenção do crédito do que os feitos com instituições bancárias.

Além de todas as vantagens do ponto de vista financeiro, ao fechar essa negociação, você estará adquirindo empreendimentos novos e em crescimento, como é o caso de loteamentos e imóveis na planta.

Para quem enfrenta problemas com os bancos para acessar um empréstimo, buscar o negócio direto com a construtora pode ser uma alternativa interessante. Isso costuma acontecer, por exemplo, com autônomos — aos quais os trâmites de comprovação de renda são diferentes de trabalhadores registrados.

2. Financiamento por outros bancos

Existem outras instituições financeiras que oferecem parcelamento imobiliário além da Caixa Econômica Federal, entre elas Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander. Todas as instituições citadas concedem a possibilidade de uso do FGTS no financiamento. تنزيل لعبة روليت Os juros variam de 9,49% a 10% ao ano, e alguns bancos afirmam que essa taxa oscila de cliente para cliente de acordo, por exemplo, com o perfil da renda. O percentual de financiamento em geral fica em até 80% do valor do imóvel.

Essas instituições se tornam mais atraentes quando o imóvel a ser adquirido possui valor mais elevado. As condições de pagamento e as taxas de juros costumam ser melhores para clientes destes bancos, especialmente para os que possuem poupança ou investimentos na instituição. Ter o nome limpo também é critério para negociar.

No caso da compra de apartamentos usados, por exemplo, os bancos concorrentes da Caixa são bastante vantajosos. Além disso, obter o crédito hoje é muito mais simples do que há dez anos, devido à concorrência entre as instituições.

Formas de simular as taxas de juros e prazos para pagamento do financiamento também têm surgido para facilitar a vida dos interessados na negociação. لعبة القمار ورق Aplicativos foram criados para que a negociação seja feita por meio de plataformas digitais. O Banco do Brasil autoriza o cliente a apresentar documentação via internet, enquanto o Santander criou plataforma para tirar dúvidas de quem quer pedir crédito no banco.

3. SFH

O Sistema Financeiro de Habitação proporciona juros menores que não ultrapassam 12% anuais. O FGTS pode ainda ser usado como entrada ou amortizador do saldo devedor.

Cada Estado possui diferentes limites para realizar financiamentos pelo Sistema Financeiro de Habitação. O teto de R$ 950 mil é aplicado em São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio de Janeiro, enquanto em outros Estados o valor máximo é de R$ 800 mil.

4. SFI

O Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) deve ser usado quando o valor do imóvel supera o teto permito pelo SFH. Também não há limite para o comprometimento de renda e o empréstimo pode ser equivalente a até 90% do valor do imóvel, podendo ser pago em até 35 anos. Para acessá-lo, porém, é preciso conseguir comprovar renda suficiente para arcar com as prestações.

A oferta de financiamento tem facilitado o acesso à habitação no país, mas é importante lembrar que existe alternativa ao minha casa minha vida. Por isso é fundamental conhecer as opções para obtenção de crédito e acessar com mais vantagens a casa própria.

Agora que você já conheceu mais sobre as opções de financiamento imobiliário para além do Minha Casa Minha Vida, deixe seu comentário no post, compartilhe suas opiniões e tire dúvidas sobre o tema!

2 respostas

  1. RFS Relapse free survival; DFS Disease free survival; OS Overall survival; RR Recurrence rate; MR Mortality rate; RBCM Risk of breast cancer mortality; PFS Progression free survival; BCSS Breast cancer specific survival; BCR Breast cancer relapse; BCE Breast cancer events; NS Non significant difference cheap cialis from india

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *