Em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus, naturalmente passamos mais tempo dentro de casa. Com isso, tecnicamente, alguns dos nossos gastos extras foram naturalmente evitados. Presumindo que mais pessoas se encontrem na mesma situação e não tenham se rendido à tentação de comprar produtos online, deu para economizar dinheiro aí, certo?

Mesmo em meio às dificuldades do momento, podemos buscar formas para criar uma reserva de segurança ou adquirir algum bem no futuro. Afinal, guardar e economizar dinheiro, além de equilíbrio financeiro, também garante qualidade de vida.

Pedir um aumento ou trocar de emprego agora pode ser uma tarefa complicada em determinados segmentos do mercado. Por isso, a reserva terá de ser feita com a sua remuneração atual. A ideia não é sugerir nenhum sacrifício exorbitante, apenas uma organização mais realista dos gastos. Vejamos:

#1 Coloque o orçamento doméstico em dia

Primeiro, coloque no papel (ou em uma planilha de excel, é você quem manda) todos os valores que entram mensalmente em sua conta, mesmo que haja variação da quantia em determinados meses do ano. Depois, descreva todos os gastos fixo e some-os.

Agora você já sabe quanto dinheiro tem e quanto precisa gastar todos os meses, independentemente do que aconteça. Para facilitar, alguns aplicativos auxiliam no controle financeiro e são recomendados por deixarem à vista o quanto você ainda pode gastar naquele mês.

Com todos os gastos anotados, você ganha uma visão mais clara das contas que não podem ser alteradas, como parcelas de prestações ou aluguel, e percebe o que cortar da lista sem prejuízo ao seu bem-estar.

Alguns custos fixos da casa podem ser diminuídos com a mudança de hábitos. As contas de luz e água, por exemplo, assim como a compra no supermercado, pode ser repensada durante o mês. Ser econômico também reflete em ações como apagar as luzes onde não tem ninguém e tomar banhos menos longos.

#2 Planeje suas compras

Como dito ali em cima, as compras para casa também devem ser avaliadas. Não vá às compras antes de fiscalizar o que você já tem em casa e o que falta. Ir menos vezes ao supermercado e comprar, de uma vez, tudo o que você precisa, resulta em gastos menores do que as compras “picadas” em mercados mais caros, porém próximos de casa.

Antes de sair, procure por locais que estejam em oferta. A pesquisa pode ser feita pela internet e não leva muito tempo. Não há problema em dividir as compras em comércios diferentes; se cada um oferece promoções em itens diferentes, vá atrás delas!

Para evitar comprar tudo em um só lugar, tire um bom tempo para as compras, já que a missão será visitar os estabelecimentos que oferecem melhores preços nos itens que você busca.

Outro detalhe importante antes de sair de casa é observar quais são as frutas e verduras daquela estação. Elas costumam ter o preço bem mais em conta, além de qualidade superior às demais. Comprar no fim do mês e em dias úteis da semana também são fatores que barateiam a quantia final.

#3 Pague as contas em dia

Não deixe que os juros levem seu dinheiro embora. Manter as contas em dia também é uma maneira de economizar, já que você não incorrerá no pagamento de multas por atraso no pagamento. Mesmo que a quantia seja pequena, ao final de um ano, perceber quanto você gastou apenas com multas pode representar um valor significativo.

A atenção ao cheque especial e aos juros do cartão de crédito também devem ser redobradas nesse momento de economia. 

Procure não trabalhar no limite entre o seu dinheiro e o cheque especial, justamente para não recorrer a ele. Esse não é um dinheiro seu – e será cobrado com taxas de juros altíssimas.

#4 Não viva uma vida que não é a sua

Uma dica muito importante para economizar dinheiro é sempre fazer esforço para não viver um patamar acima, no padrão de vida. O que todo mundo quer, claro, é ter um padrão de conforto e tranquilidade, mas nem uma coisa e nem outra vão existir se você acumular dívidas.

E isso acontecerá, inevitavelmente, se a sua despesa for maior do que sua receita mensal. Jantar fora com vinho importado (quando não tem quarentena) toda semana é uma forma incrível de decretar #sextou, mas só se você puder bancá-la.

Se esse mês, ou ano, esse é um gasto (absolutamente supérfluo) que te aperta, mas que você quer muito incluir na rotina futura, coloque nas metas que você quer sair uma vez por semana para ter um bom jantar.

O objetivo será cumprido se, ao invés de gastar, hoje, 30% a mais do que você ganha, você viver como se ganhasse 30% a menos. É assim que a gente vê o dinheiro sobrar.

#5 Crie metas para a economia gerada

Ter um objetivo em mente é um motivador para tornar-se econômico. Juntar dinheiro sem propósitos definidos pode fazer com que você o gaste rapidamente em algo que não lhe trará rendimentos futuros.

Defina metas realistas do quanto você precisa juntar mensalmente para atingir seu objetivo principal. Uma poupança deve ter finalidade, já que isso alimentará o seu esforço por trazer cada vez mais para perto a realização do que você tanto deseja.

Colocar o preço do seu objetivo no papel servirá de auxílio para alcançá-lo. Descreva quanto você precisa para realizar seus planos. Se for a compra de um imóvel, por exemplo, coloque no papel quanto você vai precisar poupar para a entrada e o valor das prestações.

O próximo passo é destrinchar as etapas em missões menores. Por exemplo: seu plano de juntar R$15 mil reais em dois anos pode ser dividido em meses ou semanas de poupança, trazendo o alcance da meta para mais perto da sua realidade.

No blog da IMG temos mais dicas como essas para quem deseja organizar definitivamente as finanças pessoais e conquistarem grandes sonhos, como a compra de um imóvel. Fique por dentro das sugestões acessando nosso site e acompanhando nossas redes sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *