Conhecer as diferentes formas de comprar imóvel é fundamental para quem está buscando fazer esse investimento, seja para a aquisição de lotes ou mesmo de uma casa já pronta.

É importante avaliar todas as alternativas para escolher a que melhor se encaixa nas suas expectativas e possibilidades, além de conhecer as vantagens e desvantagens de cada uma e já se preparar para todas as consequências.

Neste texto, explicamos as 4 formas de pagamentos mais comuns para quem adquire um imóvel. Não perca!

1. Financiamento

O financiamento é uma das formas de comprar imóvel mais comum. Ele pode ser feito em uma instituição financeira (banco) ou direto com a construtora do loteamento, casa ou edifício. قوانين البوكر بالصور O bancário funciona da seguinte maneira: a instituição contratada concede o crédito para a compra do bem, que será pago de forma parcelada posteriormente.

Uma das modalidades de financiamento é o Sistema Financeiro de Habitação (SFH), que usa recursos da poupança e do FGTS, podendo ser utilizado para compra de imóveis de até R$ 750 mil no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal e São Paulo, e de até R$ 650 mil para os outros estados do Brasil.

Para os imóveis usados, por esse sistema, é possível financiar até 70% do valor, e para os novos, 90%; vale lembrar que isso varia de acordo com cada instituição que oferece o financiamento, que pode ter regras diferenciadas. O prazo máximo dos pagamentos é de 30 anos.

Já os financiamentos com as construtoras são oferecidos para os imóveis que elas vendem, utilizando recursos próprios para essa concessão de crédito. Dessa forma, as regras costumam ser mais flexíveis, podendo ser negociadas, o que é uma grande vantagem em relação ao outro tipo.

O prazo costuma ser menor do que aqueles oferecidos pelos bancos, o que aumenta o valor das parcelas mensais que devem ser pagas. Os juros e a correção monetária também deve ser bem avaliada, pois é utilizado o Índice Nacional de Custo da Construção durante a obra, que mede a inflação específica do setor.

Depois do término da construção, utiliza-se o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) ou o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mas nada impede que as construtoras utilizem outros índices para o reajuste de preços, como o Custo Unitário Básico (CUB). Então sempre fique muito atento ao contrato e verifique a possibilidade de fazer simulações de acordo com cada índice oferecido. العاب تكسب فلوس

A grande vantagem do financiamento é a possibilidade de parcelar o valor do imóvel e já poder adquiri-lo em pouco tempo, usufruindo do bem enquanto o paga. Porém as taxas de juros podem aumentar o custo total do negócio, além de que, para aqueles que não querem ficar muito tempo com um parcelamento, essa opção pode não ser ideal.

2. Consórcio

Os consórcios são outra forma de comprar imóvel. Eles devem ser regulados pelo Banco Central e a instituição que oferece essa opção deve estar cadastrada em seus registros. لعب قمار على النت

Pelo consórcio, o comprador pode ter a opção de financiar até 100% do preço do imóvel, sendo que o valor do bem não tem teto: ele estará ligado diretamente ao poder de compra de quem deseja adquiri-lo.

No consórcio, não há a cobrança de juros, havendo somente uma taxa de administração dos valores depositados. O valor acumulado também é corrigido regularmente, o que garante a capacidade de compra.

O consórcio funciona como uma “poupança coletiva”. Pessoas se unem em um grupo e tem o objetivo de comprar um imóvel, pagando parcelas fixas mensais, que são adicionadas ao montante total. Cada consorciado terá a detenção de uma cota desse valor.

Uma dessas pessoas pode ser contemplada (receber a carta de crédito) de duas formas: por sorteio ou fazendo a oferta de um lance. A primeira forma é a mais comum, e ocorrerá com a periodicidade descrita no contrato. O lance é um adiantamento das parcelas: quem fizer o maior, ganha.

Quem é contemplado receberá uma carta de crédito — não o dinheiro equivalente —, que será utilizada para comprar o imóvel, sendo uma garantia de pagamento para quem está vendendo o bem.

Depois da contemplação, a carta de crédito deve ser liberada em até 180 dias. Porém, para ser contemplado, a espera pode durar até 180 meses, ou seja, 15 anos. Isso pode ser um fator que deve ser considerado, tendo em vista que você não poderá comprar o imóvel antes de ter a carta de crédito.

3. Pagamento à vista

O pagamento à vista é a forma mais conhecida de comprar imóveis, mas também é uma das mais difíceis de se aplicar. Os imóveis em geral, incluindo lotes, têm um valor significativo, que pode estar além da reserva financeira da maioria das pessoas.

Adquirir um imóvel à vista requer uma ótima disciplina para economizar os rendimentos e formar uma reserva financeira, o que pode custar um tempo precioso, fazendo com que, muitas vezes, a aquisição do bem demore mais do que nas outras opções.

Porém, se você se esforçou para juntar todo o dinheiro e pode pagar por um imóvel à vista, o poder de negociação também é bastante alto. Qualquer vendedor prefere receber dessa forma, ou seja, você terá uma alta margem de possíveis descontos.

Mas aqui também é importante fazer as contas. Você deve ter em mente que é possível haver outros investimentos que garantem uma boa renda mensal, capazes de suprir um parcelamento de um financiamento, por exemplo, e ainda preservar as suas economias.

4. Auxílio do governo — Minha Casa Minha Vida

O Governo também oferece formas de comprar imóvel, que auxiliam nos financiamentos e nos custos totais. Um bom exemplo é o parcelamento pelo Programa Minha Casa Minha Vida, que apresenta diversas vantagens para quem se encaixar nos seus requisitos, mas também há bastantes restrições.

Basicamente, as opções se dividem em 4 faixas: 1; 1,5; 2 e 3. Elas dependerão da renda mensal da família — quanto menor for a renda, haverá mais facilidades para quem quer adquirir um imóvel.

Porém existem várias limitações: o imóvel a ser financiado deve ser novo, não é possível utilizar essa alternativa para adquirir um bem usado. Além disso, pode ser utilizado para comprar um lote e construir ou para financiar a construção em um terreno próprio. Outra restrição é que o imóvel não poderá ser vendido ou alugado enquanto não for quitado. Portanto, essa opção deve ser bem avaliada para ver se realmente vale a pena.

Essa opção só é oferecida pela Caixa Econômica Federal, sendo que há limitações em relação ao valor do imóvel que pode ser financiado, de acordo com cada faixa do programa. O Governo também pode oferecer subsídios, ou seja, o pagamento de parte do valor, para ajudar aquelas famílias que têm a renda mais baixa.

Conhecendo essas 4 formas de comprar imóvel, suas vantagens e desvantagens, fica mais fácil escolher a opção ideal para você e sua família pagar pelo bem — seja ele um lote, a construção da casa ou mesmo a residência já construída.

Gostou deste texto sobre as formas de pagamento para comprar o imóvel? Então não deixe de baixar nosso ebook sobre o processo de financiamento de lote e construção!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *